Vida Oca

Por Declev Dib-Ferreira em 26/08/2011

VIDA OCA

 Declev Reynier

Resolvi me perguntar
Para onde estava indo
Descobri apavorado,
Transtornado
Que eu não estava indo,
Estava parado

Fiquei surpreso
Eu estava preso
Estava preso a minha própria vida
Que estava indo ao sabor do vento
E eu não indo

Pensei: para onde quero ir?
Eu não sei,
Só sei que quero ir,

Crescer, caminhar

Me perguntei:
Para onde você quer ir?

Infelizmente respondi: eu não sei
Eu não sei,
Nem eu mesmo sei!

Metas, quero metas
Minha vida está parada
Mas eu caminhando – em círculos

E quem caminha em círculos fica tonto
Como um mosquito que leva um tapa
Ou quando se joga inseticida em uma barata

Nós acabamos caindo,
Apodrecendo,
Envelhecendo no pior sentido da palavra

Minha vida está parada
E vida é como água
Se ficarmos parados apodrecemos
Nossa mente se polui
E bichos aproveitam
Para tirar proveito
Para colocarem seus ovos
Que gerarão larvas
Que novos bichos virarão;

Bichos que corroem
Bichos que corroem e nos ocam

E como um saco vazio,
Não conseguimos nem nos manter em pé.

Textos Relacionados à "Vida Oca"

VidasVida assim que eu não quisAno Novo



Compartilhe:  Uêba  |   del.icio.us  |   Rec6  |   Linkk

Faça um Comentário

O que encontrar por aqui?

Estou unindo a minha cara de pau com o serviço inestimável de um blog cultural. Vejam só que idéia magnífica! Dói escrever e ninguém ler. Saiba mais

Quer assinar?

 Assine em um leitor Ou, receba por email:
Digite seu email: