Do outro lado; crônica de um rapaz todo esquerdo…

Por Declev Dib-Ferreira em 26/03/2008

DO OUTRO LADO; CRÔNICA DE UM RAPAZ TODO ESQUERDO…

Declev Reynier

Eu Devia ser canhoto. Não sei como consigo escrever e fazer outras tantas coisas com minha mão direita (grande mão direita!!!).

Pode ser coincidência, ou pode ser até que eu fique procurando mais e mais coisas para corroborar a minha hipótese, mas o fato é que quase tudo o que acontece comigo, é no lado esquerdo. Digo quase tudo porque pode haver coisas que não me lembro.

Não sei nem por onde começar a lista.

Tenho um problema na vista. Um não, mas vários. Por exemplo, eu não tenho firmeza na vista, minha visão treme toda a não ser olhando para o lado direito. Claro que para o lado esquerdo treme. Já me falaram que foi “torcicolo de parto”. Já viu alguém ter “torcicolo de parto”? Acho que pensaram que eu era tampa de rosca! Além disso tenho astigmatismo nas duas vistas. É lógico que a vista esquerda é bem pior.

O único corte de que me lembro que tenha ficado uma cicatriz em meu corpo foi conseguido descascando cana. É no dedo indicador… da mão esquerda.

A minha canela esquerda é cheia de marcas. Por pura coincidência ou força do destino já a machuquei várias vezes. Teve uma vez até que deu uma infecção e ela ficou cheia de bolotas de pús; parecia uma obra de arte.

Lá pelos meus quinze anos estava chupando cana (de novo a cana) quando um dente incisivo superior se quebrou ao meio. O esquerdo. O mesmo que tempos antes havia me feito sofrer numa cadeira de dentista ao realizar um tratamento de canal.

A pouco tempo estava comendo pipoca, dei uma mordida em um milho mais duro. Joguei fora o “milho”. Senti algo estranho na boca. Quando olhei no espelho, havia quebrado um pedaço do molar inferior. Esquerdo.

O meu… você sabe o quê… é virado para a esquerda.

Na política eu sou de esquerda, graças a Deus.

Estou com alguma coisa me incomodando no joelho esquerdo. Sempre que vou me agachar ele estala, e quando fico muito tempo de pé ele incomoda.

A única coisa que quebrei em meu corpo em toda minha vida foi num campeonato de jiu-jitsu (sim, já fiz algum esporte!): o braço esquerdo.

Minhas orelhas são diferentes. Uma é mais para dentro que a outra. Mas na verdade não sei qual seria a forma “certa”, não veio manual.

É. Não me lembro de mais nada, mas só para constar: quando durmo com alguém na cama, eu prefiro ficar do lado esquerdo.

Textos Relacionados à "Do outro lado; crônica de um rapaz todo esquerdo…"

O vingador imaginário 1O que fazemos?Uma conversa com dois finais e dois finais



Compartilhe:  Uêba  |   del.icio.us  |   Rec6  |   Linkk

  1. 2 Comentários to “Do outro lado; crônica de um rapaz todo esquerdo…”

  2. Por Andreia Souto em 13/02/2012 | Reply

    Pois é! Meu caro Declev, ser de esquerda é ser naturalmente mais inteligente e inovador do que os demais…infelizmente sofremos impactos constantes…mas nosso inconformismo e reclamações tem fundamentação e argumentos!

  1. 1 Trackback(s)

  2. Feb 9, 2009: Do outro lado; crônica de um rapaz todo esquerdo! | Diário do Professor

Faça um Comentário

O que encontrar por aqui?

Estou unindo a minha cara de pau com o serviço inestimável de um blog cultural. Vejam só que idéia magnífica! Dói escrever e ninguém ler. Saiba mais

Quer assinar?

 Assine em um leitor Ou, receba por email:
Digite seu email: