Por ser de cá

Por Declev Dib-Ferreira em 20/03/2008

POR SER DE CÁ

Declev Reynier

[Baseado em Lamento Sertanejo]

Por ser de cá, da cidade, sou como todos, e não sou como ninguém.

Tenho medo de andar às ruas, mas ando.

Detesto os programas de televisão, mas vejo.

Acho um tormento ir à praia num domingo de sol no verão, mas vou.

Todos os supérfluos estão pela hora da morte, sei que nunca vou usá-los, mas compro.

Odeio essas músicas fabricadas em série que estouram em todos os lugares, mas escuto.

Sei que é difícil namorar sério, com essa cultura do “fica daqui, fico dali”, (além de muito caro), mas namoro.

Não entendo bulhufas da arte moderna, mas visito.

Levo surras no computador, mas uso.

Tenho consciência do stress a que são acometidos os trabalhadores que saem e voltam todos os dias na hora do “rush” para ganhar um salário ridículo, mas trabalho.

Pode não haver a marca de cerveja que gosto, estar quente e não ter cadeira para sentar, mas bebo.

Doce engorda, mas como.

Legumes e verduras são saudáveis, mas não como.

As praias estão poluídas, mas caio.

As roupas da moda são ridículas, mas uso.

A vida no interior é uma beleza, calma, serena, natural, gostosa… mas por ser de cá, daqui não saio!

Textos Relacionados à "Por ser de cá"

Não há textos relacionados



Compartilhe:  Uêba  |   del.icio.us  |   Rec6  |   Linkk

  1. 2 Comentários to “Por ser de cá”

  2. Por vais em 20/03/2008 | Reply

    Olá Declev,
    valeu pela visita, volte sempre que desejar.
    Darei uma passeada pelas suas postagens.
    inté

  3. Por Declev Dib-Ferreira em 16/04/2008 | Reply

    Olá Vais, vais e divirta-se… abraços.

Faça um Comentário

O que encontrar por aqui?

Estou unindo a minha cara de pau com o serviço inestimável de um blog cultural. Vejam só que idéia magnífica! Dói escrever e ninguém ler. Saiba mais

Quer assinar?

 Assine em um leitor Ou, receba por email:
Digite seu email: