A chuva

Por Declev Dib-Ferreira em 26/10/2007

A CHUVA

Declev Reynier

Lá vem a chuva que leva
Tudo de ruim que há nessa terra
Lava, chuva, e leva
Tudo de ruim que há nessa terra
Leva a tristeza embora
Leva a mágoa, a destruição
Leva a incerteza, o pessimismo
Lave nossa alma, a alma do mundo
Dê um banho na terra
Nesse chão imundo
Cheio de poeira, pó de gente
De asfalto, de cuspe, cocô de cachorro
Lave a terra e leve todo o egoísmo dos homens
Faça com que eles enxerguem
Que a água nos é dada de graça
Retire esta nódoa de homens
De cima de nossa terra
Leve tudo para o rio
Que leva tudo para o mar
Onde tudo vai se transformar em coisas mais bonitas,
Como as estrelas.
Dê um banho nas árvores
Nos bichos
Na terra da floresta
Cheia de folhas
Cheia de vida
Mas uma vida saudável, bonita
De natureza pura e bela
Lave todos os animais e plantas
E retire deles toda a pureza que possas
Para que esta água tão carregada
De coisas boas Siga para o rio,
Que vai seguir para o mar,
Onde vai evaporar
E com toda essa energia
Vai desaguar em cima dos homens novamente
Lavando suas almas sujas A
ssim como as suas cidades,
Retirando daqui tudo o que tem de ruim

Em 19 de março de 1993, as 2:40 da manhã, quando a uns 10 min. começou a cair uma grande chuva, com muitos trovões, que lavou a minha alma.

Textos Relacionados à "A chuva"

ChuvaOde à Mãe NaturezaAgradecimento



Compartilhe:  Uêba  |   del.icio.us  |   Rec6  |   Linkk

Faça um Comentário

O que encontrar por aqui?

Estou unindo a minha cara de pau com o serviço inestimável de um blog cultural. Vejam só que idéia magnífica! Dói escrever e ninguém ler. Saiba mais

Quer assinar?

 Assine em um leitor Ou, receba por email:
Digite seu email: